Tomas Spicolli

W1siziisiju0mtfkndrmndm0nmvhnmeyodawmde1zcjdlfsiccisinrodw1iiiwinti4edm0nsmixv0

(Campana, Buenos Aires, 1973)
-
O argentino Tomas Spicolli, artista nômade e autodidata, é uma das figuras mais importantes da cultura underground da Argentina e do Brasil, especialmente em São Paulo, onde também expõe e toca intensamente desde o final dos anos 90. Sua expressão corre em um fluxo graficamente caótico e sonoramente estrondoso, que pode ser acompanhado através de zines, discos, shows, indumentária, vídeos, intervenções urbanas, exposições e obras de arte. Spicolli distorce diferentes técnicas de reprodução de imagens, manipulando a imperfeição da fotocópia, do stencil, da serigrafia e da cópia carbono para amplificar suas pinturas, desenhos e colagens. De sua constância e voracidade surge um universo paralelo em eterna explosão, onde tudo vibra e voa pelos ares, incluindo aviões e criaturas aladas. O espetáculo destes desastres aéreos, ou as apresentações de personagens, que marcam tantas outras obras, bastam por si só para agarrar o olhar.
-
Desde 1997, Spicolli expõe e toca regularmente em centros culturais, galerias de arte e casas invadidas, tendo exibido em São Paulo, Buenos Aires, Barcelona, Boston e Peru. Dentre suas principais exposições individuais, destacam-se: Fiebre del mensaje de texto, l.a.m.b, Curitiba, 2005; Acampando em su living, Galeria Polinésia, São Paulo, 2007; Instalacion mural, SESC Pompéia, São Paulo, 2008; Version Tiniebla, galeria / _, Buenos Aires, 2012 e Palmeras de humo, galeria LOGO, São Paulo, 2012. Em 2011 lançou seu primeiro livro monográfico, intitulado Bazofia, pela editora argentina Tren en Movimento. Publicou ainda Un Paseo em la calle de los muertos (2010) e Bord Canibal (2013).

obras